Depoimentos

  • É muito emocionante ver você tocando, o violonista Darcy Villa Verde tinha razão, você é o Mozart Brasileiro! Foi emocionante também descobrir a tua página aqui na internet e ter este espaço pequeno, mas do coração, para escrever-te. Surpreendente sua discografia, são mais de 30 CD’s, desconheço artista brasileiro compositor instrumentista que possua obra desta monta. Quando falamos de você aqui no Rio, sua terra também, nunca esquecemos daquele dia quando o Brasil foi penta campeão mundial e fez em comemoração um jogo aí no Ceará e na hora do início do jogo você tocou o hino do Brasil "PARA O BRASIL INTEIRO TE OUVIR NO MAIS ABSOLUTO SILÊNCIO", foi lindo, inesquecível e uma vitória para o violão brasileiro, dignificado ali nos seus firmes dedilhados. Sua alma brilhante, seu jeito de tocar inconfundível, nunca ninguém no brasil conseguiu passar tão bem para o violão o nosso folclore como você. Parece que você inventou o folclore, com genialidade,técnica e interpretação concisas e muita autenticidade.
    Edmo Fraga Amorim
    Edmo Fraga Amorim Rio de Janeiro RJ
  • Ouvir sua música é prestar atenção aos sons que fazem parte do nosso dia-a-dia. Ter o privilégio de assistir o show de Nonato é um momento raro. Parabéns e vida longa!!!
    Lucia
  • Nonato é lindo !
    Ele compõe e toca como respira. Tenho certeza que ele herdou o mesmo código genético do Mozart. Para mim, que adoro Mozart, Nonato é o maior compositor da atualidade. É nossa obrigação prestigia-lo sempre, para que como Mozart, não conheça o apogeu quando for tarde demais.
    É responsabilidade de todos nós que apreciamos a boa música demonstrarmos nosso agradecimento e reconhecimento pela grande arte do Nonato de maneira prática e objetiva. Nonato vem recusando sistematicamente todos os convites para se estabelecer fora do Brasil, por que ele acredita que seu povo deve reconhecer sua arte, e ele é totalmente consciente da qualidade do seu trabalho e do seu inigualável violão.
    Vamos em frente pessoal, vamos divulgar o Nonato. E apresentem suas irmãs para ele, que como o Mozart, ele também gosta muito.

    Bernardo S. Campos Rio de Janeiro RJ
  • Conheço o Nonato Luiz - artista pra ninguém deixar de amar e admirar, gente que a gente adora na hora que encontra, pessoa maravilhosa e feliz - ha muito tempo! desde este tempo sou sua fã! este menino, homem, músico, anjo, duende é uma bênção deste século na vida da gente. Graças a Deus ele nasceu no Brasil, bem ali, em Mangabeira-CE, no nosso nordeste cearense! Nonato, te amo! Sucesso! ... e quando vier a brasília, fale conosco, por favor! Beijos

    Izaira Brasília DF
  • Nonato, gostei muito sua apresentacao aquí em Linz. Pra mim (e acho pra nós todos) foi a uma experiência excepcional. Já faz muito tempo, que ouvi o violao assím!!! Você é um representante digno do seu país e cuja grande tradicao musical. Sua maneira de tocar tem todos os ingredientes, que sao necessários para fazer uma música tao excelente! Nessas duas horas a sala em Linz foi transformada e encantada pela sua música. Muito obrigado por isso! Ainda gostei conhecer você como um homem alegre e culto e gostei tomar umas cervejinhas com você depois do concerto. Espero, que poderíamos continuar uma vez nossa conversa num qualquer lugar.

    Christian Linz -Áustria
  • Nonato, esse show que vc fez aqui em Linz foi a coisa mais linda que pude assistir na minha vida ( e olha que ja vi vários caras bons: Marco Pereira, Alessandro Penezzi, Mauricio Carrilho. Só Raphael Rabello que faltou, INFELIZMENTE). O seu cd choro da madeira faz parte de uma história muito bonita que vivi onde era o unico cd que tinha no carro (eu comprei ele no Rio em uma das minhas viagens de trabalho) em uma viagem de uma semana (1.700 Km) saindo do Rio passando por Sao Paulo, Minas de ponta a ponta e acabando em Vitoria! Parabéns Nonato, vc enche a gente de orgulho!

    Julio Godino Linz - Áustria
  • Como foi bom para os teresinenses que o violonista Nonato Luiz aprendesse o caminho de Fortaleza a Teresina para, vez por outra, desembarcar na capital piauiense com seu abençoado violão. Vê-lo tocar é um prazer redobrado pois, além de nos fazer ouvir os acordes mais criativos e perfeitos, ainda nos toca o coração quando exibe no rosto feições delicadas que lembram a de uma criança diante de um brinquedo novo.

    Tânia Martins do Jornal Meio Norte (caderno Alternativo) Teresina-Pi
  • Recebi o disco “Ceará” – brilhante produção da Letra & Música, Henilton Meneses – e coloquei para tocar direto e com que prazer. Cada música é surpresa, mesmo as conhecidas tornam-se diferentes nas novas formas e traduções que a interpretação de sua sensibilidade traduz. Eu sempre falo que Nonato é o nosso clássico com raça, com as cores de nossa tinta nordestina de todas as cores, que em momento algum abre mão de todas as harmonias e solos. O que sua mente fértil de música imagina, os dedos hábeis e rápidos procuram e no violão realizam a espantosa criatividade que sempre é sua característica principal. Nonato é o violão, e o que toca é ELE – o veículo da sonoridade exalando em cada nota, o som – como reflete em seu rosto de menino feliz ao brincar com o instrumento, coisa rara de se ver, sentir e ouvir, em qualquer instrumentista. A felicidade de ouvir Nonato solando uma de minhas músicas me deu logo vontade de retribuir musicalmente, interpretando uma de suas músicas, que eu sei também realizadas por ele como autor.

    Ednardo Cantor e Compositor
    Ednardo Cantor e Compositor Rio de Janeiro
  • Nonato Luiz é um violonista e um compositor de fina sensibilidade capaz de criar e desenvolver temas em que o apuro técnico não exclui a beleza (rara) provinda da simplicidade. Por trás de suas atraentes melodias encontram-se sólidas e bem arquitetadas tramas composicionais, que revelam o artesão paciente, capaz de transformar as relações matemáticas dos sons em matéria de puro som. Essa música cresce em muito quando o intérprete é o próprio autor: Nonato possui um toque limpo e argênteo, tendo uma das digitações mais elegantes do atual violão brasileiro.

    Marcus Vinícius de Andrade Diretor-Artístico da Gravadora CPC-UMES
  • Nonato Luiz é o que se pode chamar de músico raro. Instrumentista e compositor, Nonato faz uma ponte entre o erudito e o popular, com maestria e simplicidade. Quando executa obras de outros autores, tira delas todos os recursos que essa música possa oferecer, quer em harmonia, melodia e principalmente na clareza do som que sai das cordas do seu violão. Além da figura musical, genial no violão é extremamente carinhoso, um doce de pessoa que só transmite alegria e vibração positiva! Nonatinho não existe, Nonato não é desse planeta!

    Fagner
    Fagner Cantor, compositor, instrumentista
  • Ele transita pelo clássico e pelo popular da mesma maneira. É filho direto de Baden, neto de João Pernambuco, na pegada, no balance, na exploração de cada nuance do violão, com a sensibilidade do amante que conhece cada ponto da mulher.  

    Luís Nassif
  • Nonato Luiz revela uma clara opção de brasilidade e de independência em sua forma de usar as possibilidades sonoras de seu instrumento.

    José Ramos Tinhorão
  • É um compositor inspirado e dono de uma técnica límpida, um som quase celestial que extrai de seu instrumento. Mas há que ressaltar uma extrema sensualidade com que tange as cordas de seu instrumento, e a reverência com que trata os compositores que homenageia em seus discos. Nonato Luiz é um grande, eis tudo.
    Herminio Bello de Carvalho
    Herminio Bello de Carvalho
  • Ouso afirmar que Nonato Luiz, um cearense de olhos cor dos mares cearenses, sua terra, de riso franco e aberto, é um dos maiores violonistas do mundo. Guardem esse nome.

    Vai Nonato, vai ser gênio na vida...

    Ronaldo Bôscoli
    Ronaldo Bôscoli Compositor, produtor musical e jornalista
  • Há 30 anos conheci um menino tímido, sua gargalhada "mozartiana" e seu violão mágico. Nunca tinha visto, assim de perto, tal fenômeno: uma fonte viva de melodias, harmonias, sensibilidade e encantamento. De lá pra cá minha admiração pela música do Nonato só faz crescer!

    Discos? Tenho praticamente todos e mais alguns (já passou dos 70 itens, entre discos de carreira, participações, e ainda interpretações alheias, em vinil ou digital). Coisa boa é ouvir o violão do Nonato! Grande músico, excelente compositor, ser humano maior!

    Abração, aqui de Lisboa.

    Alan Romero
    Alan Romero Jornalista e produtor cultural - Lisboa, Portugal
  • A clareza da execução através de uma técnica justa, a facilidade em alcançar os acordes mais extensos, a rica imaginação de motivos melódicos e a brasilidade sempre presente fazem dele um modelo para os jovens.  

    José Domingos Raffaelli
  • O Violão de Nonato pulsa entre o ataque sertanejo, o pique flamenco e o dengue afro, num violão de sotaque erudito.

    Tárik de Sousa
    Tárik de Sousa
  • A pronúncia de Nonato é límpida, a execução sempre tecnicamente impecável, com a marca do toque incisivo, veloz e prolixo.

    Mauro Dias
  • A música de Nonato Luiz tem algo de erudito e de popular; tem o encanto do contraponto barroco e a magia da cor nordestina; tem o espanto da harmonia moderna e a suavidade da canção. Poucos compositores têm a competência de juntar tudo isso e transformar um sentimento de vida em soluções estéticas para o violão. Felizmente, existem compositores como o Nonato Luiz, que brotou do virtuoso chão de Mangabeira, para tocar “Esse comboio de cordas que se chama o coração
    Paulo de Tarso Pardal
    Paulo de Tarso Pardal
  • O violão do Nonato Luiz é, para mim, uma fonte inesgotável de emoções. A começar, é claro, pela simples virtuosidade do seu talento e técnica. Daí em diante vem tudo, paixão, delicadeza, energia, sensualidade, tristeza e, sobretudo alegria. A alegria e o prazer que ele tem e nos dá com o seu violão. Isso eu sinto em todos os seus discos, agora este me tirou o fôlego! “Benzim”, “Fogo Pagô”, “Deus Me Perdoe”, músicas de meu pai que, algumas delas, não eram gravadas há quase meio século e que mostram também o lado musical dele, ajudando a corrigir um erro comum de quem acha que ele era só (como se fosse pouco...) um grande poeta. E por falar em composição que lindo “Um Outro Baião”, homenagem de Nonato com uma pitada de “Qui Nem Jiló”, nada de amargo aí. Não sei se Nonato sabe disso, mas o disco “Baião Erudito” é um presente para todos nós e para mim em especial. Obrigada Nonato!
    Denise Dummont
    Denise Dummont
  • Como é possível transportar o resfolego da sanfona do velho Luís “Lua” Gonzaga para um violão? Nonato Luiz dá resposta em seu mais novo trabalho dedicado ao velho ícone brasileiro e seus parceiros – com especial destaque para Humberto Teixeira. À belíssima sonoridade que extrai de seu instrumento, Nonato Luiz soma o intérprete sensibilíssimo e o criativo arranjador que exibe um cromatismo sonoro que, por vezes, me dá a sensação de estar ouvindo aqui em casa o fole do filho dileto de seu Januário, quando a enchi de flores para receber o “Rei do Baião” – ah! que dia lindo aquele. Gasto todos os adjetivos, sem nenhum pudor, quando falo desse grande Nonato Luiz. Mas há que ressaltar uma extrema sensualidade com que tange as cordas de seu instrumento, e a reverência com que trata os compositores que homenageia em seus discos. Nonato Luiz é um grande, eis tudo.
    Herminio Bello de Carvalho
    Herminio Bello de Carvalho
  • Dizer que Nonato é genial é uma obviedade assim brasileira! Ele é uma carga de musicalidade que eu não conheci em ninguém até hoje, nunca vi isso. Eu morei próximo a ele em Copacabana uma época, eu acordava e um violão já estava sendo tocado na sala, era ele! Fizemos muitas músicas brincando, porque trabalhar com o Nonato pra compor é trabalhar brincando! Grato, Nonato por tudo e por ter me dado a chance de verbalizar o “Baião da Rua” sobre a melodia irresistível de “Baião Cigano”.
    Fausto Nilo
    Fausto Nilo
  • Ainda me lembro da surpresa que experimentei quando, há décadas, ouvi Nonato Luiz pela primeira vez, aqui no Rio. Disse-lhe então que ele já nascia feito. Ou seja, aquele violonista cearense claro e risonho, tão jovem ainda, vinha insuflado por ventos agregadores. Numa hora, bafejavam-lhe a doçura e a brasilidade de um João Pernambuco, de um Dilermando, de um Garoto. Em outros momentos, despontavam ali ou acolá e veemência ou a paixão dos violonistas do flamenco, quando não a técnica de Turíbio. Agora – tantos discos e tantos anos depois – Nonato me deslumbra com este disco em homenagem a Humberto Teixeira e Luís Gonzaga. E faz bem colocar o nome do poeta Humberto Teixeira à frente. Cearense como ele, o “Doutor do Baião” ficou um tanto esquecido em relação a obra que ele elaborou, uma grandíssima referência de qualidade dentro da MPB. Depois de ouvir este disco, que se abre e se fecha com Humberto Teixeira, considero-o desde logo um clássico, um retrato solar, brilhante e apaixonado pela música do nordeste deste Brasil. Sim, esta é uma música universal, nas tramas ritmo-harmônica-melódicas de Nonato Luiz.
    Ricardo Cravo Albin
    Ricardo Cravo Albin
  • Nonato Luiz não é só um cidadão cearense conhecido no mundo todo por seus dotes de instrumentista, concertista e grandioso espectro humano! Nonato Luiz não é só um cidadão nascido no Ceará ... ele é do mundo inteiro, é de Deus e das grandezas profundas dos arrepios da emoção! Conheci esse humilde cearense universal no Rio de Janeiro, chegado de pouco tempo no sul maravilha assim como eu, fomos vizinhos em bota fogo, e logo tecemos muitos e vários, diversos momentos musicais e poéticos além do além! Com os seus olhos profundamente azuis, e os meus verdes, vazava em mim, em nós, a sua bondade de sábio humilde e generoso, e difícil seria não acompanhá-lo! No violão, nas grandezas profundas, a herança que o supremo criador determinou, que nele ficasse “apregado” como um cravo nos pulsos eterno de Deus, a cantarolar rezas benditas, ladainhas, bachianas, rondós, sonatas, concertos e missas! E eu, cravo que sou, saio das notas musicais e dos poemas e canções e me fixo novamente, feito cravos poéticos musicais nos pulsos sagrados de nós um e outro a pelejar nas veias abertas de Deus, amém! Parabéns planeta terra por parir tamanho ser humano artista eterno e brilhante azulando a terra e fertilizando a semente, pois é, Nonato é isso! Nonato é assim! Como o sol! Amém! Inté Nonato!
    Vital Farias
    Vital Farias
  • Eu gostaria de parabenizar Nonato Luiz pelo sucesso, ontem tive o prazer de assistí-lo no programa “Encontro Marcado” da TV Diário. Lembrei da nossa infância, quando você tocava violão pra os seus vizinhos da rua José de Barcelos no bairro Parque Araxá na década de 70, saudades!
    Gilberto Bezerra
  • Conheci Nonato Luiz durante o Festival de Música de Campos do Jordão, em 1977, e na hora reparei o talento daquele jovem que vinha do Ceará. Duas coisas me chamaram atenção: a intimidade que ele desenvolvia com o instrumento, mas também a graça com que ele tocava. Nonato Luiz é um belíssimo talento do violão brasileiro, do qual nos orgulhamos, particularmente nós que, como ele, somos nordestinos.
    Turíbio Santos
    Turíbio Santos
  • Esta obra de Nonato Luiz é uma preciosa contribuição de criatividade para o repertório violonístico.
    Sebastião Tapajós
    Sebastião Tapajós
  • Eis aqui algumas peças escritas por Nonato Luiz com a consciência de quem conhece tanto os fundamentos da música quanto a linguagem do instrumento que ele domina tão bem. São frutos de uma vasta safra, ricos de sutilezas técnicas e musicais que engrandecem e embelezam o repertório do violão.
    João Pedro Borges
    João Pedro Borges
  • Nonato Luiz é um dos maiores violonistas do Brasil da atualidade. Meu amigo particular, gosto muito do seu trabalho. Tenho acompanhado à distância o sucesso do seu trabalho no Brasil e no exterior.
    Marco Pereira
    Marco Pereira
  • Nonato Luiz é um estilista e envolvente músico, quer no seu instrumento como nas suas composições. O artista Nonato é um orgulho para a família violonística deste grande Brasil.
    Henrique Annes
    Henrique Annes
  • A música de Nonato Luiz é formada por uma confluência de estilos: o brasileiro (choro, baião,etc) e o erudito (principalmente a música barroca). As suas composições revelam a cada nova criação uma nova forma. O seu fluxo criativo não o permite render-se a padrões preestabelecidos, está nos seus dedos e no grande espírito de brasilidade. Todos nós, violonistas, deveremos nos sentir agraciados com estas dez joias que, certamente, preencherão uma lacuna dentro do repertório violonístico brasileiro contemporâneo.
    Erivaldo Borges
    Erivaldo Borges
  • Nonato tem muito do Nordeste rural, Nordeste árabe, tem a escola do violão, a universidade, o erudito, mas tem também a informação internacional: o Blues, tem Paco de Lucia, Dilermando Reis. Nonato é um dos maiores violonistas do mundo, é um parceiro do coração. Ele é o único com quem eu tive o privilégio de gravar cantando. Nonato compõe como poucos, só vejo isso também em Moraes Moreira e João Donato, eles compõe com uma facilidade. São minas de melodia, Nonato é uma dessas minas de melodias.
    Abel Silva
    Abel Silva
  • Apresentar Nonato Luiz é um negócio que me emociona muito porque lembro de mim quando comecei minha carreira na Europa. Tenho a honra de tê-lo como amigo e assino embaixo tudo o que ele faz em som. Nonato Luiz é um jovem do Ceará, um Mozart Brasileiro, um compositor maravilhoso! Ele é dotado de um alto grau de instrumentismo!

    Darcy Villa Verde
    Darcy Villa Verde
0

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar